O primeiro domingo de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 contou com a presença de mais de 100 alunos do Colégio Satc, que tiveram apoio de professores e coordenadores ao longo do ano letivo e nas horas que antecederam a avaliação. Com algumas temáticas ligadas ao racismo, invisibilidade social, emancipação da mulher e escravidão, a prova exigiu dos estudantes muita atenção e interpretação dos anunciados. Na horado exame, os estudantes precisaram relembrar as dicas e conteúdos vistos nos aulões do Colégio, uma vez que, as questões eram extensas e continham alternativas curtas e diretas, exigindo maior atenção e análise.

No primeiro dia do exame, os alunos fizeram as provas de linguagens e suas tecnologias e ciência humanas e suas tecnologias, divididas em 90 questões. A avaliação também solicitou aos estudantes a redação, que neste ano abordou o tema: “Invisibilidade e registro civil, garantia de acesso à cidadania no Brasil.   

Para o aluno da turma 3005, Paulo Henrique Barichello de Bona, a redação deste ano foi diferente do que estava esperando. “O primeiro dia do Enem foi um pouco diferente, principalmente na redação, que continuou na pegada dos temas sociais, mas abordou um problema que não estava nas previsões para cair na prova: o acesso à cidadania, que não deixou de ser um bom tema, mas foi mais complexo do que os anteriores” explica.

A prova exigiu dos candidatos maior capacidade de concentração e contextualização, visto que, as questões eram longas e cheias de conteúdo. “Na nossa avaliação a prova foi bem conteudista, que exigia maior interpretação dos alunos nos enunciados e alternativas. Então, os estudantes tiveram que ter um foco ainda maior e puxar da base do conhecimento deles, uma contextualização que desse apoio na hora das respostas”, conta a professora de geografia, Cristiane Spillere.

conforme o aluno, Mateus Benincá, as dicas dos professores foram fundamentais no direcionamento dos estudos e na preparação para a prova. “As orientações pedagógica e educacional do colégio sempre atenderam nossas necessidades, buscando alternativas de estudos e nos apoiando durante o preparo e a realização do exame”, ressalta.

Na avaliação do aluno Paulo Henrique, a prova objetiva foi maior em extensão do que as provas anteriores. “Os textos eram grandes e mais confusos, o que tornou mais comum um dos clássicos problemas do Enem: a dúvida entre duas alternativas. Contudo, o apoio da coordenação e dos professores nos ajudou na resolução das questões. Os aulões fornecidos pelo Colégio forneceram a base para a interpretação e assimilação dos conteúdos dos textos base das questões”, destaca.

O Enem segue com provas no seu segundo dia, que ocorre no próximo domingo (28), com aplicação das questões de matemática e ciência da natureza.