A Feira do Livro em Criciúma tem a proposta de incentivar gosto pela literatura, para pessoas que já são leitoras ou que possuem vontade de começar a ler. Depois de ficar 2020 sem as exposições devido a pandemia, neste ano voltou a movimentar a região. As atividades iniciaram semana passada e seguem até o próximo sábado (20). O evento fica localizado na Praça Nereu Ramos, com horários das 8h às 20h.

A feira é um símbolo em Criciúma e torna a leitura mais acessível ao público leitor. Segundo a gerente de livraria, Brenda Hirsch, o fato de estar localizada na praça traz uma motivação ao público. “Ao passar no local, elas observam a movimentação, param para olhar e compram livros que chamam sua atenção. São eles que nos escolhem, as vezes entramos em livrarias sem pretensão de escolha e levamos livros que marcam nossas vidas”, pondera.

Brenda também afirma que o principal objetivo é atender todos os tipos de leitores. Alguns até esperam para comprar durante esse período porque os preços se tornam mais acessíveis. O evento e toda a repercussão nas compras está alta e os apaixonados por livros sempre vêm para conhecer, em busca de encontrar um livro esperado ou que é a sua cara para ler.

“Interagir e participar nesse processo de escolha é importante. Ver a felicidade nos rostos das pessoas, principalmente, das crianças que vem participar e que acabam comprando algum livro para elas ou levando para um irmão ou amigo me emocionam, além de trazer satisfação e felicidade”, ressalta.

Para a leitora e artista, Vitória Daitx Teixeira, a feira traz momentos marcantes. São duas semanas de trocas culturais e de aprendizados. As visitas estão repercutindo toda hora, principalmente, no período entre 8h30min e 9h30min, e acalmando apenas no final da manhã.

“Como leitora e frequentando o evento, consigo ouvir histórias de diversas pessoas, ver a felicidade nos rostos de outros leitores e imaginar eles lendo o que compraram. Isso contribui para a minha formação, no aumento de pessoas leitoras e na riqueza cultural em nossa região”, estabelece.

Vitória também diz que a principal importância da feira do livro é para os estudantes de escola pública. Normalmente, os acessos aos livros não são frequentes e na feira eles têm contatos acessíveis com livros e, com os incentivos além dos familiares essa aproximação com a literatura faz o gosto pela leitura estar presente em suas vidas.

Nostalgia entre os leitores

De acordo com a bibliotecária e leitora, Amanda Geremias, a volta da feira este ano foi uma nostalgia. Apenas não aconteceu no ano passado, mas parece que foi uma eternidade, e a volta dela trouxe a sensação de normalidade.

“O que mais curti foi a iniciativa da Prefeitura em dar para as crianças da rede pública um vale livro de R$ 10. Essas atitudes chamam novos leitores e são grandes oportunidades de vendas em livrarias e sebos da cidade. Além de apoiar o comércio local e caso a pessoa não tenha o hábito da leitura, ela pode começar ali mesmo”, finaliza.